X-Men: Fênix Negra | Crítica e primeiras impressões do filme da Fox

A era iniciada pela Fox ao produzir o primeiro filme dos X-Men lá no ano 2000, chega ao fim de maneira desconfortável. Após a compra da produtora pela Disney, os filmes da franquia dos mutantes da Marvel está chegando ao final com X-Men: Fênix Negra.

Ainda há a esperança de que Novos Mutantes seja lançado, mas pelo clima deixado pela história de Jean Grey e dos diversos adiamentos, melhor parar por aqui. Pois a tendência é um final ainda mais melancólico para uma outra produção.

Isto posto, vamos ao que interessa. Assistimos X-Men: Fênix Negra e vamos apresentar nossa crítica e primeiras impressões.

X-Men: Fênix Negra crítica e primeiras impressões

Desde as primeiras informações sobre adiamento e retoques no roteiro e filmagens, as expectativas sobre X-Men: Fênix Negra não era das maiores. Apesar de todo background criado com os filmes anteriores, iniciado em X-Men: Primeira Classe e do sucesso na produção de Logan, era preciso manter os pés no chão.

Não é um filme ruim, mas é muito aquém do que indicavam os trailers. Até porquê, grande parte das cenas empolgantes estavam apresentadas ali. A cena inicial, a missão de salvamento espacial, a morte de Raven (Mística) e o descontrole de Jean Grey após se tornar a Fênix Negra já era de conhecimento do público.

E faltou recheio, por muitas vezes dava a impressão que foram feitos muitos remendos e ajustes no roteiro. Algumas sequências foram muito corridas e contadas de maneira muito superficial, para que se abrisse espaço para uma abordagem mais dramática de uma protagonista com várias lacunas em seu background.

Diálogos que deveriam ser a base dessa construção de personagem ficaram perdidos, e a morte de Raven logo no início do filme prejudicaram demais a maneira que a história pretendia ser contada. O mote da representatividade e protagonismo feminino era o que enganchava todas as relações da transformação de Jean Grey, mas o que foi construído ao redor não conseguiu dar a força que o tema merecia.

Algumas atuações também deixaram a desejar, Michael Fassbender se desmanchou como Magneto e Tye Sheridan foi sofrível durante todo o filme no papel de Scott Summers (Ciclope). O restante é bastante regular, mas ninguém rouba a cena.

De muito bom e ponto alto do filme é a batalha entre os X-Men e o grupo alienígena do Império D’Bari. Bem produzido com sequências impressionantes e um desfecho digno. Infelizmente, as diversas alterações impediram com que a despedida dos X-Men da Fox fosse favorável.

Um filme morno, pouco empolgante para trama que merecia mais. Ainda assim na média do que foi contado de X-Men nos cinemas (o que não significa muito). Mais do que eu esperava, menos do que poderia ter sido.

E você, já assistiu X-Men: Fênix Negra? Conte pra gente o que achou do filme nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *